ATENÇÃO SERVIDORES!

São Sebastião, quarta-feira, 4 de maio de 2016


Sindserv
 


Sem resultado em reunião com prefeito Ernane Primazzi (PSC), o Sindserv convoca os servidores para assembleia extraordinária neste sábado (7), na sede do sindicato, às 9h, em primeira chamada, e às 10h, em segunda chamada.

Os servidores vão decidir juntos as próximas ações diante da falta de reajuste salarial da categoria. A presidente do Sindserv, Audrei Guatura, destaca que o servidor teve uma reposição de 6,28% concedida em maio de 2015, referente ao período de maio de 2013 a abril de 2014, e que depois não foi feito nenhum repasse pela administração.

Conforme proposta de campanha salarial aprovada em assembleia, a categoria pede ao governo municipal a reposição da inflação do ano passado mais as correções (11,52%) e mais 11,19% referente ao ano de 2016, totalizando 22,71%.

A sede do Sindserv fica na Rua José David do Vale, 33, no Centro de São Sebastião.

Participe servidor, sua presença é de extrema importância!

Não mudou nada e a tendência é só piorar, afirma Prefeito em reunião com Sindserv

São Sebastião, sábado, 30 de abril de 2016


Sindserv
Audrei Guatura, junto com a diretoria da entidade, em reunião com o prefeito Ernane
 


A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Sebastião (Sindserv), Audrei Guatura, junto com a diretoria da entidade, se reuniu no final da tarde desta terça-feira (29) com o prefeito Ernane Primazzi (PSC), secretários da administração e vereadores no gabinete da prefeitura. A reunião para reivindicar a reposição salarial dos servidores foi agendada após a presidente usar a tribuna livre da Câmara no último dia 26 e cobrar um posicionamento da Casa.

Na reunião, a presidente cobrou resultados da administração municipal. “Isso é inaceitável. O servidor não pode chegar na empresa de energia e dizer que não vai pagar o aumento porque não teve o reajuste. A gente precisa de resultados”, frisou.

O prefeito novamente afirmou que sem a liberação total do dinheiro do IPTU da Petrobras é impossível qualquer negociação e que o valor liberado não daria para cumprir o reajuste. “A despesa do município está aumentando e a arrecadação caindo. Não vemos uma luz no fim do túnel, nem pra gente e nem pra ninguém. Se parar ou não parar vai continuar do jeito que tá. É desgaste a toa”, afirma o prefeito.

A presidente destaca que o servidor teve uma reposição de 6,28% concedida em maio de 2015, referente ao período de maio de 2013 a abril de 2014, e que depois não foi feito nenhum repasse pela administração. “É inadmissível para uma cidade não dar a reposição ao servidor”, completa Audrei. O Sindserv ressalta que, conforme proposta de campanha salarial aprovada em assembleia, a categoria pede ao governo municipal a reposição da inflação do ano passado mais as correções (11,52%) e mais 11,19% referente ao ano de 2016, totalizando 22,71%.

Ao final da reunião, a presidente frisou que no próximo dia 7 (sábado), às 9h em primeira chamada e às 10h em segunda chamada, os servidores estarão reunidos em assembléia, na sede do Sindserv, para tomar decisões diante da falta da reposição que não é paga desde o ano passado.

Presidente do Sindserv usa tribuna e Câmara convoca reunião com prefeito

São Sebastião, quarta-feira, 27 de abril de 2016


Sindserv
Audrei Guatura, usou na noite desta terça-feira (26/04) a tribuna livre na sessão da Câmara da cidade
 


A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Sebastião (Sindserv), Audrei Guatura, usou na noite desta terça-feira (26/04) a tribuna livre na sessão da Câmara da cidade.

Ela cobrou dos vereadores um posicionamento em relação a reposição salarial dos servidores da Prefeitura que não é pago desde o ano passado, sob alegação que o IPTU da Petrobras está em juízo.

“A promessa do governo foi de que quando saísse o dinheiro do IPTU da Petrobras (mesmo parte dele), teríamos reajuste. O servidor teve uma reposição de 6,28% em maio de 2015 referente ao ano de 2014. De lá para cá, a administração não fez nenhum repasse. É inadmissível para uma cidade não dar a reposição ao servidor. Ubatuba deu 11%, Ilhabela deu 10,4% e São Sebastião 0%. A administração não cumpre com o dever. O dinheiro do IPTU da Petrobras entrou e a Prefeitura deu um ‘passa moleque’ no servidor. Não somos contra escola, contra creche, mas o governo tem que dar conta da Educação e também da reposição do servidor”, relatou.

Ao final, ficou marcada uma reunião na sexta-feira (29/04), em horário a ser definido, que vai contar com a presença dos vereadores, de secretários municipais, do prefeito Ernane Primazzi (PSC) e da diretoria do Sindserv.

Vale ressaltar que, conforme proposta de campanha salarial aprovada em assembleia, a categoria pede ao governo municipal a reposição da inflação do ano passado mais as correções (11,52%) e mais 11,19% referente ao ano de 2016, totalizando 22,71%.

Presidente do Sindserv usará tribuna da Câmara nesta terça-feira e convoca servidor

São Sebastião, segunda-feira, 25 de abril de 2016


Sindserv
 


A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Sebastião (Sindserv), Audrei Guatura, usará a tribuna livre na sessão da Câmara da cidade nesta terça-feira (26/04).

Ela vai expor aos vereadores a situação dos trabalhadores, que estão sem reposição salarial desde o ano passado.

Conforme proposta de campanha salarial aprovada em assembleia, o Sindserv pediu ao governo municipal a reposição da inflação do ano passado mais as correções (11,52%) e mais 11,19% referente ao ano de 2016, totalizando 22,71%.

Porém, a presidente falará ainda sobre a manobra orçamentária feita pela administração para não conceder o reajuste à categoria.

“A promessa do governo foi de que quando saísse o dinheiro do IPTU da Petrobras (mesmo parte dele), teríamos reajuste. Isso aconteceu em fevereiro, o dinheiro entrou e sorrateiramente já foi empenhado para outra coisa. Queremos deixar claro que não somos contra escola ou creche, mas o prefeito tem de dar conta dos dois”, disse a presidente do Sindserv.

Audrei Guatura informou ainda ser importante a participação e mobilização do servidor neste processo. “Quanto mais trabalhador estiver na sessão, mais pressão poderemos fazer na Câmara e na Prefeitura”.

A sessão da Câmara de São Sebastião tem início às 18h.