COMUNICADO: AULAS DE DANÇA NO SINDSERV

Sindserv realiza Assembleia para deliberar a implantação do Seguro de Vida com Auxílio Funeral aos servidores

São Sebastião, quinta-feira, 10 de abril de 2014

 

No próximo dia 16 de abril o Sindserv irá realizar uma assembleia extraordinária, nas dependências da sede do sindicato, para discutir e deliberar a implantação do Seguro de Vida com Auxílio Funeral aos Servidores Públicos Municipais, sindicalizados. Tal benefício deverá ser pago pelo órgão de classe, caso seja aprovado nesta assembleia, haja vista que esta solicitação foi pauta de reivindicação anterior à administração, que negou o Seguro aos trabalhadores municipais.
Sensibilizado com as condições de dignidade dos funcionários públicos municipais, que, muitas vezes dependem de favores alheios para um funeral adequado, é que o Sindserv tomou a iniciativa e estudou a implantação deste benefício, pagando aos servidores sindicalizados este seguro, garantindo um funeral digno ao trabalhador e seus dependentes diretos.
A primeira chamada para assembleia será às 17h e a segunda às 18. 
Informações: O Sindserv fica na Rua José David do Vale, nº 33 – Centro. Dúvidas, entrar em contato através do telefone (12) 3892.1545. 

No próximo dia 16 de abril o Sindserv irá realizar uma assembleia extraordinária, nas dependências da sede do sindicato, para discutir e deliberar a implantação do Seguro de Vida com Auxílio Funeral aos Servidores Públicos Municipais, sindicalizados. Tal benefício deverá ser pago pelo órgão de classe, caso seja aprovado nesta assembleia, haja vista que esta solicitação foi pauta de reivindicação anterior à administração, que negou o Seguro aos trabalhadores municipais.

 

Sensibilizado com as condições de dignidade dos funcionários públicos municipais, que, muitas vezes dependem de favores alheios para um funeral adequado, é que o Sindserv tomou a iniciativa e estudou a implantação deste benefício, pagando aos servidores sindicalizados este seguro, garantindo um funeral digno ao trabalhador e seus dependentes diretos.

 

A primeira chamada para assembleia será às 17h e a segunda às 18. 

 

Informações: O Sindserv fica na Rua José David do Vale, nº 33 – Centro. Dúvidas, entrar em contato através do telefone (12) 3892.1545. 

 

 

Assembleia com agentes de segurança delibera ações administrativas antes de deflagrar greve

São Sebastião, sexta-feira, 4 de abril de 2014


Sindserv
Assembleia com agentes de segurança
 


“Ações pacíficas foram deliberadas, como forma de tentativa administrativa, visando esgotar todos os meios de diálogo antes de deflagrar greve geral”
 
Na noite da última quarta-feira, dia 02 de abril, agentes de segurança, lotados na Segur (Secretaria Municipal de Segurança) de São Sebastião, se reuniram em Assembleia, convocada pelo órgão representante legal da classe, Sindserv, para discutirem pautas que podem levar a uma possível greve geral desses profissionais.
Abrindo as discussões, o jurídico do Sindserv, representado pelo advogado Ricardo Harada, foi esclarecida a questão do risco atividade ou da periculosidade, benefícios que esses agentes têm direito, por Lei Federal nº 12.740/2012, já sancionada na presidência da República, e regulamentada ainda, através de portaria, a NR (16), pelo Ministro do Trabalho, Manoel Dias, garantindo o pagamento dos 30% de periculosidade. “A portaria define que as atividades que expõem os profissionais a roubos ou violência física são perigosas e regulamenta o adicional de periculosidade, no valor de 30%,  aprovada pela Lei 12.740, de 8 de dezembro de 2012, com o objetivo de melhorar as condições de trabalho para os profissionais da segurança pessoal e patrimonial, incluindo dessa forma os Guardas Civis Municipais, os Guardas Patrimoniais, e, ainda estamos estudando este benefício aos agentes de trânsito e Defesa Civil”, explana o advogado.
Para o presidente do Sindserv, Ivan Moreira Silva, antes mesmo de deflagrar uma greve geral, são importante ações pacíficas e administrativas, na tentativa de conquistar este direito, adquirido, de forma saudável. E, contudo, em meio às discussões, foram deliberadas, dentro da pauta essas ações, que são: a formação de uma comissão, formada por 5 Guardas Civis Municipais, que irão tentar um diálogo com o prefeito, para apresentar as dificuldades, reivindicações e os pedidos para a solução de melhorias no ambiente de trabalho e a segurança do trabalhador; A elaboração de um documento, com o estatuto próprio dos GCM’s, com plano de cargos, carreira e salário, jornada de trabalho de 40 horas, seguro de vida específico e aposentadoria especial; Uso da Tribuna Livre, visando passar aos vereadores, administradores e à comunidade em geral, a necessidade de proporcionar condições dignas e seguras aos agentes de segurança. “Mesmo, após, todas as ações, através do diálogo, nada for resolvido e os guardas não forem contemplados, haverá o início de uma greve, chamada branca, para depois, quando perceberem a importância dos serviços desses profissionais, deflagrar, de fato, uma greve geral entre os mesmos. Lembrando que o Sindserv está a todo o tempo respaldando e dando o total suporte aos profissionais desta área!”
O pedido para a reunião com prefeito já deverá ser enviado ainda esta semana, e, a partir da semana que vem, outras ações se iniciarão, como o envio, via documento, das reivindicações e a contemplação imediata da periculosidade, além dos demais recursos para um ambiente de trabalho digno e seguro.
Nesta Assembleia, compareceram cerca de 25 dos 54 guardas municipais, efetivos, além de agente de trânsito e guardas municipais de Jacareí, que vieram acompanhando o presidente daquela cidade, Nivaldo Moreira, visando dar apoio e orientar sobre a greve realizada na cidade de Jacareí e os caminhos e cuidados que os guardas de São Sebastião podem tomar no intuito de atingirem seus objetivos, que nada mais são, do que melhores condições de trabalho, com seus direitos adquiridos contemplados, principalmente com a periculosidade instituída. 

“Ações pacíficas foram deliberadas, como forma de tentativa administrativa, visando esgotar todos os meios de diálogo antes de deflagrar greve geral”

Na noite da última quarta-feira, dia 02 de abril, agentes de segurança, lotados na Segur (Secretaria Municipal de Segurança) de São Sebastião, se reuniram em Assembleia, convocada pelo órgão representante legal da classe, Sindserv, para discutirem pautas que podem levar a uma possível greve geral desses profissionais.

Abrindo as discussões, o jurídico do Sindserv, representado pelo advogado Ricardo Harada, foi esclarecida a questão do risco atividade ou da periculosidade, benefícios que esses agentes têm direito, por Lei Federal nº 12.740/2012, já sancionada na presidência da República, e regulamentada ainda, através de portaria, a NR (16), pelo Ministro do Trabalho, Manoel Dias, garantindo o pagamento dos 30% de periculosidade. “A portaria define que as atividades que expõem os profissionais a roubos ou violência física são perigosas e regulamenta o adicional de periculosidade, no valor de 30%,  aprovada pela Lei 12.740, de 8 de dezembro de 2012, com o objetivo de melhorar as condições de trabalho para os profissionais da segurança pessoal e patrimonial, incluindo dessa forma os Guardas Civis Municipais, os Guardas Patrimoniais, e, ainda estamos estudando este benefício aos agentes de trânsito e Defesa Civil”, explana o advogado.

Para o presidente do Sindserv, Ivan Moreira Silva, antes mesmo de deflagrar uma greve geral, são importante ações pacíficas e administrativas, na tentativa de conquistar este direito, adquirido, de forma saudável. E, contudo, em meio às discussões, foram deliberadas, dentro da pauta essas ações, que são: a formação de uma comissão, formada por 5 Guardas Civis Municipais, que irão tentar um diálogo com o prefeito, para apresentar as dificuldades, reivindicações e os pedidos para a solução de melhorias no ambiente de trabalho e a segurança do trabalhador; A elaboração de um documento, com o estatuto próprio dos GCM’s, com plano de cargos, carreira e salário, jornada de trabalho de 40 horas, seguro de vida específico e aposentadoria especial; Uso da Tribuna Livre, visando passar aos vereadores, administradores e à comunidade em geral, a necessidade de proporcionar condições dignas e seguras aos agentes de segurança. “Mesmo, após, todas as ações, através do diálogo, nada for resolvido e os guardas não forem contemplados, haverá o início de uma greve, chamada branca, para depois, quando perceberem a importância dos serviços desses profissionais, deflagrar, de fato, uma greve geral entre os mesmos. Lembrando que o Sindserv está a todo o tempo respaldando e dando o total suporte aos profissionais desta área!”

O pedido para a reunião com prefeito já deverá ser enviado ainda esta semana, e, a partir da semana que vem, outras ações se iniciarão, como o envio, via documento, das reivindicações e a contemplação imediata da periculosidade, além dos demais recursos para um ambiente de trabalho digno e seguro.

Nesta Assembleia, compareceram cerca de 25 dos 54 guardas municipais, efetivos, além de agente de trânsito e guardas municipais de Jacareí, que vieram acompanhando o presidente daquela cidade, Nivaldo Moreira, visando dar apoio e orientar sobre a greve realizada na cidade de Jacareí e os caminhos e cuidados que os guardas de São Sebastião podem tomar no intuito de atingirem seus objetivos, que nada mais são, do que melhores condições de trabalho, com seus direitos adquiridos contemplados, principalmente com a periculosidade instituída. 

Sindserv convoca assembleia extraordinária para discutir possível greve

São Sebastião, quarta-feira, 26 de março de 2014


“Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de São Sebastião se prepara para Assembleia Geral extraordinária, que poderá deliberar possível greve na Segur”

 

O Sindserv de São Sebastião convoca os servidores municipais, lotados na Secretaria de Segurança (Segur) para comparecerem à Assembleia Geral Extraordinária que se realizará no próximo dia 02 de abril, quarta-feira, na sede central do Sindicato.

A pauta, voltada aosServidores da Secretaria de Segurança Pública, será para discussão e deliberação dos informes gerais da conjuntura, com base na Lei Federal n° 12.740/2012 e Lei Complementar n° 146/2011 Estatuto do Servidor; Elaboração da pauta de reivindicações; Discussão e deliberação sobre a possibilidade de GREVE por tempo indeterminado; Em caso de deflagração da GREVE, deliberar sobre a manutenção dos serviços considerados essenciais; Encaminhamento Final da Pauta Deliberada;


A primeira convocação esta programada para 18h e a segunda para às 19h.

 

Informação: O Sindserv fica na Rua José David do Vale, nº 33 – Centro. Mais informações pelo telefone (12) 3892.1545.

Presidente do FAPS tenta frustrar palestra solicitada pelo Sindserv

São Sebastião, quinta-feira, 20 de março de 2014


Sindserv
Palestra realizada na noite de ontem, dia 19 de março
 


Presidente do FAPS tenta frustrar palestra solicitada pelo Sindserv
“Ainda assim, os servidores se reúnem e decidem pela preservação do fundo, garantindo o futuro da categoria!” 
A palestra realizada na noite de ontem, dia 19 de março, nas dependências da sede do Sindserv – Centro, solicitada pelo órgão de classe, visando esclarecimento dos investimentos do FAPS com a empresa Plena Consultoria foi surpreendida com a ausência de quatro dos seis conselheiros, além do diretor, Edson Mathias e presidente do FAPS, Reinaldo Luiz Figueiredo, que enviou um ofício, duas horas antes do início da palestra, ao Sindicato, negando sua participação, alegando que os esclarecimentos já tinham sido feitos no dia 13 de março, aos vereadores, na videoteca. E, com apenas dois conselheiros, os servidores tentaram tirar suas dúvidas.
Com essa negativa por parte do presidente do FAPS e também secretário de Administração, Reinaldo Luiz Figueiredo, o presidente do Sindserv, Ivan Moreira Silva elaborou algumas transparências para informar aos dois únicos conselheiros presentes dúvidas dos servidores. Conselheiros esses que, provavelmente, foram sem precisar à anuência do presidente do FAPS, e na ocasião sabatinados pelos trabalhadores.
Para o presidente do Sindserv, Ivan Moreira Silva, trata-se de um desrespeito do presidente do FAPS, que se furtou à oportunidade de esclarecer dúvidas com relação aos investimentos da empresa Plena Consultoria, com o aval dos conselheiros, que vem sendo investigada pela Polícia Federal. “Porém, deixamos com os conselheiros presentes às reivindicações da categoria, que são: a retirada da empresa Plena; A realização de auditoria independente, com a indicação de uma empresa, pelos servidores; Atualização do site; Divulgação dos investimentos através de um boletim informativo; Além, é claro, de informar os valores reais perdidos durante o ano de 2013. Já que para nossa diretoria os números não batem, e cerca de 24 milhões deixaram de ser apresentados, e também os prejuízos causados com os investimentos de risco. Neste caso, o que será feito com esses investimentos de risco?” Questiona Ivan, que conclui solicitando aos dois membros presentes um posicionamento dos demais conselheiros, bem como do presidente do Fundo, em um prazo de 15 dias. “Não queremos duvidar da idoneidade do conselho, mas o que paira hoje na categoria é que estão ocultando alguma informação para os servidores, o que pode, até, estar ocorrendo para os próprios conselheiros. Enfatizo que as ações do Sindserv continuarão, para preservar o patrimônio do FAPS e assegurar o futuro da categoria. Esperamos uma solução em breve!”, finaliza.

“Ainda assim, os servidores se reúnem e decidem pela preservação do fundo, garantindo o futuro da categoria!” 

 

A palestra realizada na noite de ontem, dia 19 de março, nas dependências da sede do Sindserv – Centro, solicitada pelo órgão de classe, visando esclarecimento dos investimentos do FAPS com a empresa Plena Consultoria foi surpreendida com a ausência de quatro dos seis conselheiros, além do diretor, Edson Mathias e presidente do FAPS, Reinaldo Luiz Figueiredo, que enviou um ofício, duas horas antes do início da palestra, ao Sindicato, negando sua participação, alegando que os esclarecimentos já tinham sido feitos no dia 13 de março, aos vereadores, na videoteca. E, com apenas dois conselheiros, os servidores tentaram tirar suas dúvidas.

 

Com essa negativa por parte do presidente do FAPS e também secretário de Administração, Reinaldo Luiz Figueiredo, o presidente do Sindserv, Ivan Moreira Silva elaborou algumas transparências para informar aos dois únicos conselheiros presentes dúvidas dos servidores. Conselheiros esses que, provavelmente, foram sem precisar à anuência do presidente do FAPS, e na ocasião sabatinados pelos trabalhadores.

 

Para o presidente do Sindserv, Ivan Moreira Silva, trata-se de um desrespeito do presidente do FAPS, que se furtou à oportunidade de esclarecer dúvidas com relação aos investimentos da empresa Plena Consultoria, com o aval dos conselheiros, que vem sendo investigada pela Polícia Federal. “Porém, deixamos com os conselheiros presentes às reivindicações da categoria, que são: a retirada da empresa Plena; A realização de auditoria independente, com a indicação de uma empresa, pelos servidores; Atualização do site; Divulgação dos investimentos através de um boletim informativo; Além, é claro, de informar os valores reais perdidos durante o ano de 2013. Já que para nossa diretoria os números não batem, e cerca de 24 milhões deixaram de ser apresentados, e também os prejuízos causados com os investimentos de risco. Neste caso, o que será feito com esses investimentos de risco?” Questiona Ivan, que conclui solicitando aos dois membros presentes um posicionamento dos demais conselheiros, bem como do presidente do Fundo, em um prazo de 15 dias. “Não queremos duvidar da idoneidade do conselho, mas o que paira hoje na categoria é que estão ocultando alguma informação para os servidores, o que pode, até, estar ocorrendo para os próprios conselheiros. Enfatizo que as ações do Sindserv continuarão, para preservar o patrimônio do FAPS e assegurar o futuro da categoria. Esperamos uma solução em breve!”, finaliza.