Sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Reunião Faps

  • SERVIDORES PARTICIPAM DE REUNIÃO COM GESTORES DO FAPS PROMOVIDA PELO SINDSERV

    Os servidores públicos de São Sebastião participaram, na noite de segunda-feira (27/11), da reunião com gestores e conselheiros do Faps, promovida pelo Sindserv. Durante o evento realizado na sede central da entidade, os trabalhadores puderam entender melhor a situação atual do Fundo de Aposentadoria e Pensões, bem como verificar as medidas que estão sendo tomadas para preservar o patrimônio da categoria que atualmente está com um déficit de R$ 256 milhões, de acordo com o último cálculo atuarial.

    Os servidores presentes questionaram sobre a porcentagem aplicada em títulos públicos, como também a responsabilização dos gestores que teriam realizado aplicações de alto risco que geraram prejuízos ao Fundo, a utilização do jurídico da prefeitura para consultoria ao invés de ter um corpo jurídico especializado neste mercado, a ausência de conselheiros nas reuniões, o conjunto habitacional do Itatinga, o cancelamento da festa da instituição este ano, a proposta de Reforma da Previdência atinge também o Faps, entre outras questões.

    Durante a reunião, o diretor do Faps, José Manoel Gouveia, explicou que o fechamento em janeiro foi de R$ 795 milhões e em setembro foi de R$ 796 milhões. Ainda afirmou que todas as aplicações são estudadas previamente pelo Comitê de Investimentos, do qual é presidente, que realiza uma avaliação de todas as movimentações, além de considerar o cenário econômico atual antes de qualquer decisão. “Estamos focados na capacitação dos conselheiros e no fortalecimento da instituição”, esclarece.

    De acordo com o diretor, o Faps ainda não possui o Certificado de Regularidade Previdenciária (CRP) e considera uma demanda urgente, pois o município fica bloqueado para receber repasses Federais. Também por falta do CRP, o Faps não está recebendo os recursos do Sistema de Compensação Previdenciária (Comprev), que gira em torno de R$ 1 milhão, referentes ao que foi recolhido dos servidores junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

    Para os conselheiros presentes, a situação atual do Faps é preocupante e o foco é o resgate dos valores investidos em fundos de alto risco, porém como na maioria das vezes não estão como os maiores cotistas é preferível manter o recurso aplicado e buscar melhorar a saúde do Fundo de Investimento do que perder o dinheiro.

    Entre os prejuízos apresentados está o não repasse da contribuição patronal por parte da prefeitura, de mais de R$ 6 milhões, somados no período de setembro a dezembro de 2016, além de mais R$ 2 milhões das contribuições dos servidores que teriam sido retidos pela administração no final do ano passado. Segundo Gouveia, estes valores estão sendo pagos atualmente de forma parcelada.

    A presidente do Sindserv, Audrei Guatura, ressalta que esta reunião é um passo importante e uma grande conquista para todos os servidores que podem acompanhar mais de perto as medidas tomadas para preservar o patrimônio e garantir a aposentadoria dos trabalhadores, pois o caminho para que não se tenha mais prejuízos é a transparência total de todos os procedimentos adotados pelos gestores.

    “Teremos eleições para o Conselho do Faps no próximo dia 14 e esperamos que os candidatos estejam preparados para assumir estes cargos. Este é o momento de ficarmos atentos as intenções dos que querem as vagas. Preciso lembrar que o Sindserv continua pleiteando uma cadeira no Conselho”, completa a presidente, que também solicitou que as reuniões com os gestores do Fundo ocorram periodicamente ao longo do ano, sendo abertas a todos os servidores.