Quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

Palavra da Presidente

  • Lutamos por nossos direitos

    Somos servidores públicos municipais. Somos trabalhadores da saúde, da limpeza urbana, da educação, do saneamento, da assistência social e dos setores administrativos da Prefeitura de São Sebastião.

    Somos trabalhadores, cidadãos e estamos amargando com o arrocho dos salários e com a precarização do trabalho.

    Quando a administração do município não investe no serviço público e nos servidores, toda a população está sendo deixada de lado. Faltam servidores públicos concursados para atender a população! Muitos serviços públicos estão sendo terceirizados, gerando mais gastos e atendimento precário! Ouvimos muito que não tem dinheiro na Prefeitura, mas sempre está sobrando para gastar com propaganda, viagens ou ações que não estão beneficiando a população que mais precisa. Fomos privados do direito a reposição anual da inflação no salário!

    Não estamos falando aqui de cortes dos salários e regalias de altos cargos da administração, nem de benefícios como gratificações de 100% em cima de altos salários. Estamos falando de trabalhadores que já dedicam anos ao serviço público, trabalhadores com remunerações que variam de um salário mínimo a cerca de R$ 2 mil e que lutam para garantir que o pagamento mensal possa acompanhar o aumento do gás, da conta de água, dos alimentos.

    Buscamos desde março dialogar com a Prefeitura, mas até agora não tivemos uma proposta. Reposição anual da inflação é um direito previsto na Constituição Federal. Temos uma reivindicação justa e prevista também na Lei Municipal 146/2011, que garante que o reajuste salarial ocorra em maio todos os anos.

    Estamos unidos e organizados. A falta de compromisso da administração gerou manifestações e paralisação nos últimos meses, que foram deliberadas em assembleias, para que o servidor público pudesse externar toda a indignação e descontentamento com a desvalorização da categoria.

    A luta é para garantir o poder de compra do trabalhador. Para que ao menos, por exemplo, o servidor público possa comprar a mesma quantidade de alimentos que comprava no mercado no ano anterior. A falta de reposição inflacionária impacta diretamente no comércio local. Imagina o quanto seria 3% de reajuste (se fossemos contar só o índice do período apontado pelo Governo), em cima de pagamentos de 3 mil funcionários? Se recebêssemos R$ 1 mil cada, seria cerca de R$ 100 mil por mês gastos com alimentos, roupas, pagamentos, injetando dinheiro no município. Estamos todos sofrendo prejuízo diário.

    Nós, servidores públicos, nos empenhamos diariamente para prestar os melhores serviços possíveis a toda população sebastianense. Lamentamos profundamente ter que chegar ao ponto de paralisar as atividades, como ocorreu em 12 de junho, e ter que realizar atos públicos que impactam na rotina dos munícipes, mas não podemos aceitar passivamente tamanho desrespeito e desvalorização.

    Servidores públicos temos que continuar unidos na luta por nosso reajuste salarial e a presença de todos os funcionários públicos é de extrema importância no nosso próximo ato público que será realizado no dia 17 de julho, com concentração às 17h30, em frente ao Paço Municipal.

    #UnidosSomosSempreMaisFortes

    Audrei Guatura

    Presidente do Sindserv

    <